Novo medicamento pode mudar a vida de quem sofre anemia falciforme

Acessos: 38

Novo medicamento parece que pode mudar a vida de quem sofre anemia falciforme. Trata-se do primeiro tratamento para a doença das células falciformes, em mais de 20 anos. Será estendido a milhares de pacientes na Inglaterra, anunciou hoje o chefe do NHS. Conhecido como Crizanlizumab (ADAKVEO®), o novo medicamento é administrado por via endovenosa.

O Crizanlizumab actua ligando-se a uma proteína nas células sanguíneas e consegue prevenir e reduzir a frequência de crises vaso-oclusivas (CVOs). Os beneficiados são pacientes adultos e pediátricos, com idade igual ou superior a 16 anos. Em mulheres gravidas tem um uso reservado.

ADAKVEO® (crizanlizumab)

Novo tratamento para a crise vaso-oclusiva .

O interessante dessa notícia é que em UK só há 1500 doentes registados com a doença. Apenas 300 recém nascidos por ano sofrem de anemia falciforme nesse país. Mesmo assim, as farmacêuticas procuram uma droga para tratar e lucrar (of course) com os pacientes. Felizmente será o próprio Sistema Nacional de Saúde de UK, a suportar o custo do tratamento. Parece que por lá, quem sofre de alguma doença crónica tem o apoio estatal, principalmente se for de origem genética.

 

Os países africanos  tem o “non plus ultra” de doentes com Anemia Falciforme, aliás, esta doença é característica da raça negra.  O paradoxo é que não parecem estar muito preocupados na pesquisa de novos tratamentos.

Atenção: Um cuidado importantíssimo a ter com este medicamento é que com base em estudos com animais, ADAKVEO tem potencial para causar danos fetais quando administrado a mulheres grávidas.

Aconselha-se as mulheres grávidas sobre o risco potencial para o feto. ADAKVEO só deve ser usado durante a gravidez se o benefício esperado para a paciente justificar o risco potencial para o feto, o que resulta bastante difícil de definir.

Doentes ortopédicos no contexto da Covid 19 em Angola
O ensino da Ortopedia e outras ciências afins